Páginas

Até Breve...

3 comentários
Eu tentei adiar ao máximo, disse a mim mesma que com o tempo as coisas ficariam melhores e tudo voltaria ao normal. Essa semana, o blog completou mais um ano de vida e eu simplesmente esqueci. Um turbilhão de emoções está passando pelo meu coração nesse momento e eu não tenho certeza se eu vou conseguir colocar tudo pra fora e ao mesmo tempo escrever um texto coerente. Então Senhoras e Senhores deixo aqui o meu pedido de desculpas.

As coisas não caminhavam como antes, perdi o interesse de ler, perdi o interesse de ver filmes e seriados. Coisas que me motivaram a criar o blog e que se tornaram uma "obrigação". Durante 5 anos de Blog eu priorizei os livros de parceria, priorizei os prazos, passei livros na frente de outros livros, alguns estão encalhados na estante há mais de 3 anos. O Blog passou a ser uma "obrigação" e não um lugar onde compartilhar experiências. Por diversas semanas eu procurei a paixão, alegria e motivação, mas algo me incomodava. Provavelmente a pressão da vida foi o pior fator, temos um outro mundo fora dos caracteres, fora das redes sociais. Uma vida onde ser adulto não é fácil, Peter Pan tentou nos avisar, só que ninguém deu ouvidos. 

Há um mês minha rotina mudou e não conseguir me adaptar. Amigos mais próximos garantem que é uma fase, questão de adaptação e o tempo vai ajudar a melhorar. Estou me agarrando nesse fio de esperança, todos os dias ao sair de casa me agarro a essa esperança de que o tempo vai ser meu melhor amigo. Não está sendo fácil! O medo é meu pior inimigo, ele anda colado com esse fio de esperança, sinto que dou dois passos para frente e o medo me puxa um passo para trás. É necessário tomar uma decisão. Foi quando vi o vídeo do Vitor Almeida no Geek Freak "Valorize o BookTube" e muita coisa que eles e outros blogueiros explanaram eu penso da mesma forma. 

Ficou claro para mim que do jeito que estava não poderia ficar. Não é um adeus, nem um até logo. Prefiro dizer um período de "Hiatus" que se inicia. Não quero sentir o peso nas costas ou na consciência todas as noites antes de dormir, "tenho que postar" quero abrir o Netflix e assistir um filme bobinho no estilo seção da tarde, quero ser livre para assistir um anime, livre para ir até a minha estante e ler um Romance de Banca com meus Caubóis sem me preocupar em fazer resenha. Só de pensar chega a ser libertador.   

Todos esses anos, todas as postagens e todos os comentários, todos os amigos queridos, tanto amor e gratidão. Obrigada!

Vou permanecer pelas redes sociais, visitar os blogs amigos e ler as resenhas que tanto amo, não com tanta frequência, mas prometo que não vou sumir. 

Sou colunista no blog All Pop Stuff, semanalmente escrevo sobre séries, ando um pouco fuleira em relação as postagens, preciso atualizar as séries, estou trabalhando nisso. 

Acho que é tudo... 

Não queria parecer deprimente, só coloquei tudo pra fora. Nem vou me dar o trabalho de revisar texto nenhum, foi de peito aberto mesmo.

Apenas mais um dos meus devaneios...

Com todo amor,
Cindy.







Resenha: O Herói Perdido - Rick Riordan

22 comentários
Ficha Técnica
Autora: Rick Riordan
Páginas: 432
Editora: Intrínseca 
Ano: 2011



Adoro livros do gênero Fantasia, adoro Mitologia Grega e Romana, Deuses do Egito, no colégio sempre foram meus assuntos favoritos ao estudar História. Faz um tempo que não lia nada do gênero, principalmente esse ano, tenho lido muitos romances e coisas mais leves. Amo a escrita escrita do Rick Riordan, depois de tanto tempo sem ler uma obra dele, a última foi em 2009, no lançamento do último livro da série Percy Jackson e os Olimpianos. Posso garantir que não foi por falta de interesse, mas fui deixando pra depois e foi acumulando a pilha de leitura, o universo dos Olimpianos foi aumentando e acabei ficando para trás. Esse ano coloquei como meta de 2016 voltar a esse universo e tive a satisfação de confirmar que o autor ainda é um dos meus queridinhos.


Se você não leu a série Percy Jackson, aconselho não ler essa resenha. A nova série Os Heróis do Olimpo é uma continuação direta, então você vai levar uma surra de spoilers se continuar.

O livro começa com os nossos heróis sendo atacados. Jason acorda sem memória, num ônibus escolar, no meio do deserto. Ele não sabe o que está acontecendo, sofre uma terrível dor de cabeça e pra piorar tem uma menina ao seu lado, conversando animadamente. Quem é essa menina? Ainda por cima diz ser sua namorada, as coisas pioram ainda mais a sua volta, todos no ônibus parecem ser colegas da escola e ele não reconhece nenhum rosto. Não lembra de nada, Não tem certeza de quem é ou o que está fazendo com ali com aquelas pessoas. Claro que as coisas pioram, a garota que ele logo descobre se chama Piper e o garoto Leo que também está muito próximo e ele são atacados por espíritos de tempestade, seu professor se transforma e se revela um sátiro. Ele tenta explicar aos tês o que está acontecendo, mas ele acaba sendo sequestrado, parecia que tudo estava perdido, eles estavam a beira da morte, até que uma garota loira apareceu dos céus, resgatando o trio, mas logo são questionados por ela... Onde está Percy Jackson. WHAT??? Quem é Percy Jackson?


Eles são levados ao Acampamento Meio-Sangue, lá descobrem que são semideuses, filhos de Deuses com Humanos. Piper é filha de Afrodite e Leo filho de Hefesto, os dois ficam atordoados, mas Jason tem a impressão que algo estava errado, aquilo não era novidade para ele. Annabeth explica que há 9 meses os semideuses venceram a Guerra contra Cronos, tudo havia voltado ao normal até que Percy desaparece. Os Deuses estão trancados no Olimpo, proibidos por Zeus de falar com os filhos. Annabeth recebe um recado de Hera que diz que a resposta para o desaparecimento do namorado está no Grand Canyon com um garoto sem memória. Ela ainda conta a historia da última profecia:

“Sete meios-sangues responderão ao chamado
Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado
Um juramento a manter com um alento final
E inimigos com armas as Portas da Morte afinal”


Jason, Piper e Leo recebem uma missão, Hera caiu em uma emboscada e eles são os únicos capazes de salvar a Rainha do Olimpo. Eles saem em busca de respostas, tem apenas três dias, Annabeth parte em busca do Percy e Jason sente que tudo tem uma ligação. Dessa vez o autor nos apresenta três visões, na série anterior ela é contada na visão de Percy. Cada herói tem um segredo e aos poucos vamos descobrindo como a vida dos três está interligada. O livro é recheado de ação, cenas de lutas exploradas e  detalhadas, a leitura é leve, carregada de humor, já característico do autor. 

"Filho do relâmpago, tome cuidado no chão,
Da vingança dos gigantes os sete nascerão,
A forja e a pomba devem abrir a cela,
E liberar a morte pela raiva de Hera."

Rick Riordan trás de volta nessa série o universo criado por Percy Jacskson e os Olimpianos e surpreende ao nos mostrar o quando esse mundo imenso, rico e cheio de mistérios. Fica aquele gosto de "quero mais" e o final do livro é enlouquecedor. Tudo se encaixa e parece que a cabeça vai explodir, daqueles livros que você precisar ler a continuação em seguida. 

P.S: Eu não consigo entender porque as pessoas comparam Percy Jackson e Harry Potter, são mundos diferentes, os autores tem escritas diferentes, Rick Riordan tem aquela escrita com humor e mais próxima da realidade, onde o Monte Olimpo é o Empire State e O Mundo Inferior é Las Vegas. Já J.K. Rowling tem uma escrita quase poética, aquela coisa mágica, faz você querer mergulhar naquele universo totalmente novo. Acho totalmente desnecessário a rixa e as comparações. Porque não amar os dois? Tem gente que não ama nenhum dos dois... Ué, Paciência!  É apenas uma questão de preferências, cada um tem a sua. 





TOP 10: Glee

31 comentários


Esse é mais um top 10 e bem especial. Essa semana completou 7 anos de exibição do primeiro episódio de Glee. Eu não poderia deixar a data passar em branco. A série foi um sucesso mundial ao mostrar a realidade das escolas americanas. Foram em pouco tempo mais de 43 milhões de músicas vendidas, duas turnês com concertos esgotados, três Globos de Ouro, quatro Emmy Awards, seis Satelit Awards e cinquenta e sete outros prêmios. A história de Glee se passa na escola McKinley High, em Lima, Ohio. Um grupo de estudantes na sua luta para vencer na vida, almejar o futuro, enquanto vivem nos cruéis corredores do colégio. Will Schuester passar a dar aulas no coral e tenta restaurar mostrar as pessoas como é importante investir em Cultura nas escolas públicas, Will é o exemplo de professor que trabalha por amor, além de estar sempre defendendo a existência do clube para a Sue Sylvester que faz tudo para acabar com as artes na escola. A série mostra o relacionamento dos alunos que fazem parte do Clube Glee seus relacionamentos como casais, seu amor pela música e desejo de popularidade entrando em conflito devido à sua filiação no clube e a preocupação com o status. Muita música, amor, ambição, superação, temas polêmicos como Bullying, drogas, gravidez, Bulimia, Suicídio, Sexualidade e Religião. 



Glee foi tão inovador e audacioso ao mesmo tempo. A ideia dos produtores era criar um  "musical pós-moderno", o elenco era novo e nenhum deles era conhecido. O que prova o talento de cada um pois, Glee é um show de atuação, canto e dança. As vozes são reais, as músicas eram pré-gravadas e durante a gravação do episodio eles dublam a si mesmos. 
A série teve 6 temporadas, foi finalizada as pressas, devido a morte de um dos personagens principais, o ator Corey Monteith teve uma overdose aos 31 anos. Corey lutava contra o vicio desde os 13 anos e passou por várias clinicas de reabilitação. Não está sendo fácil terminar esse post, mas eu separei 10 videos para lembrar de alguns momentos da série. Eu poderia separar vários videos e fazer vários Top 10... Melhores músicas, melhores apresentações, melhores participações especiais, ficaria imenso. Vou tentar separar 10 momentos que me marcaram. 

10 - Mercedes Jones cantando Beautiful.


Mercedes sonha em ser uma popstar e gravar um CD. Ela procura seu lugar ao sol e deseja brilhar, mas não é fácil ser negra e principalmente gordinha. Dona de um vozeirão esse momento é emocionante. 

9 - Santana cantando Valerie.


Santana tem aquele jeitinho de vilã e megera, mas no fundo tem um grande coração e vozeirão. Adoro essa versão, muito mais do que a versão original, pra quem não conhece é uma música de Amy Winehouse.

8 - Barry Allen é o homem mais rápido do mundo e também canta.



Grant Gustin antes de ser protagonista da série Flash ele deu vida ao vilão Sebastian. Acho a voz dele maravilhosa, Grant até cantou um pedacinho em um episódio da 1°temporada de Flash, mas não foi nem um pouco justo. Ele esteve presente durante o episódio em homenagem a morte de Michael Jackson e garantiu um dos melhores duelos entre vilões. 



7- Eu amava o casal e shippava horrores.



Eu amava Rachel e Finn, torcia por eles, foram poucas idas e vindas. Algumas vezes terminaram, mas foi compreensivo. Essa apresentação foi emocionante, muita coisa estava em jogo e os dois deixaram o coração falar mais alto, depois pagaram o preço. 


6 - Trio parada dura. 

Brittany, Santana e Quinn, três beldades e lideres de torcida. Elas arrasavam, adorava as três juntas.


5 - Blaine e o piano. 

       


Darren Criss é dono de uma voz maravilhosa, teve várias performances solo no piano e essa conquistou meu coração. Esse momento na série é emocionante e reflete bem o momento do relacionamento dele com Kurt. 

4 - O Duelo épico. 

Os mocinhos também duelam e esse foi INCRÍVEL. Sempre houveram "brigas" entre os fãs das Boy bands *NSYNC e Backstreet Boys, mas os integrantes das bandas sempre foram amigos. Na série houve um desentendimento entre os mocinhos e rolou essa performance maravilhosa. 

3 - Bieste e Unique


Glee sempre foi uma série que chocou as pessoas mais conservadoras, trazendo a tona assuntos delicados e polêmicos. Nessa performance mostram o apoio a Professora que resolveu passar por uma cirurgia de mudança de sexo, foi lindo. Houve ainda participação de outros Transgêneros cantando, juntos formaram um coral único.  

2 - Lea Michele.
 

Uma mulher extremamente talentosa e que voz! Ela foi se destacando e brilhando aos poucos na série. Proporcionou momentos emocionantes em todas as temporadas. Com certeza essa apresentação é uma das mais icônicas, ela fez uma versão ao vivo no meio da premiação Tony Awards. Se você não viu, vale a pena conferir. 

   
1 - The Quarterback 


5x03 - The Quarterback foi o nome do episódio que homenageou o ator Corey Monteith. De longe foi o episodio mais emocionante de Glee. Corey e Lea namoravam na vida real e ela cantou "He's gone" 

Eu não consigo nem explicar o quanto foi difícil ver esse episódio, rever esse momento, preparar esse post. Foi tudo tão trágico, doeu tanto ver o sofrimento dos atores e amigos, não poderia escolher outro momento tão importante quanto este. A série estava no começo da 5° temporada e já tinha sido renovada para mais duas temporadas. Após a morte de Corey, renovaram apenas para 6°com 13 episódios. 



EXTRAS:







Tentei ao máximo não soltar nenhum spoiler, só coisas normais da trama mesmo. O final da série não poderia ter sido melhor, foi satisfatório. Eles conseguiram seguir a vida dos personagens mesmo com a morte do Corey. O que ficou foi a saudade no peito e eu espero que vocês tenham gostado de relembrar alguns momentos ou conhece-los, quem sabe você acaba dando uma chance de assistir, tem na Netflix.


Resenha: A Coroa - Kiera Cass

42 comentários


Ficha Técnica
Autora: Kiera Cass
Páginas: 310
Editora: Seguinte
Ano: 2016



Sinopse: Em ''A Herdeira'', o universo de A Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria Seleção. Eadlyn não acreditava que encontraria entre os trinta e cinco pretendentes do concurso um companheiro de verdade, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante - do que esperava.



Eu tenho que começar essa resenha sendo sincera. Quem acompanha o blog sabe que eu não gosto de rodeios, comentários abusivos ou sem fundamento eu farei questão de excluir. É uma forma esquisita de começar uma resenha, mas como disse serei sincera em relação ao livro. Alguns fãs da autora e da série passam dos limites. Conheço blogueiros que tiveram que excluir resenhas ou videos do canal no Youtube, pois levou uma chuva de comentários ofensivos por ele demonstrar um opinião negativa em relação aos livros da série. Tudo tem limite e hoje vivemos no tempo do "textão e do print" tudo é motivo para dar um print e colocar um texto gigantesco em forma de revolta. 

Chegou a hora de falar da escrita maravilhosa da Kiera e sobre o desfecho da série. Se você tem curiosidade em ler a série e não leu os livros anteriores, aconselho a não ler essa resenha. A Coroa começa exatamente depois do final de A Herdeira. Fiz resenha dele aqui no blog, você pode conferir aqui.

Depois que seu irmão gêmeo foge para a França e sua mãe sofrer um ataque cardíaco, Maxon se ausenta do trono nomeando Eadlyn regente, só assim ele poderia se dedicar a cuidar de America que segue internada. Eadlyn resolve antecipar a seleção e diminui sua lista de pretendentes dando inicio a Elite. Ela viu seu mundo cair, fragilizada, sem o apoio dos pais, sem sua metade, seu irmão estava sendo feliz do outro lado do mundo, ela precisava de ajuda. Eadlyn desceu do salto e da pose de esnobe, pediu ajudar e conseguiu fortes aliados, passou a conhecer melhor seus pretendes, mesmo com pouco tempo, entre obrigações reais e as obrigações com a Elite ela foi reparando seus erros aos poucos. 

"Se existem amigos que são almas gêmeas, você é a minha, e não quero que vá a lugar nenhum."

Nesse livro conhecemos o lado mais humano da princesa, pensei até que esse lado não existisse depois da forma que a personagem foi apresentada em a Herdeira. O grande mistério do livro é quem a princesa vai escolher. Eu tenho o péssimo hábito de torcer pela pessoa errada ou torcer pela pessoa que não é escolhida num triangulo amoroso, eu logo percebi que eu mais uma vez torci pela pessoa errada, mas nem foi isso que me decepcionou no livro. Menos de 40 páginas para o livro acabar, percebi a jogada da autora e foi um balde de água fria. Tinha devorado o livro durante a madrugada e quando cheguei no desfecho da historia, tratei de para e deixar a leitura para mais tarde. 

"Encostei na parede, prestes a desatar a chorar. Nenhuma pessoa é mais poderosa que eu. E, no entanto, nunca tinha me sentido tão indefesa."

O livro tem apenas 310 páginas, a escrita da autora não mudou, prende e o ritmo de leitura é rápido, mas no desfecho da trama a autora pecou, algumas informações foram jogadas encima do leitor, sem o devido tempo para digeri-las. Tudo aconteceu rápido demais, as eliminações dos pretendentes pouco convincentes e a forma que a princesa se apaixonou não me convenceu. Kiera não conseguiu que eu me apaixonasse pelo casal, assim como me apaixonei por Maxon e America ao ponto de acreditar no amor deles e torcer por ele. 

Fiquei com tanta raiva que passei o dia enrolando, não queria terminar aquelas malditas 40 páginas. Fui procurar resenhas sobre o livro e quase cair para trás com os boatos e spoilers. Eu não sei se é verdade, senhoras e senhores, vi algumas pessoas comentando que o livro vazou há alguns dias atrás e o final era incerto pois a autora havia escrito três finais. Seria pedir muito ler esses três finais? Provavelmente. 

Cheguei a conclusão que a Seleção é uma trilogia e A Herdeira e A Coroa são Spin off... Me recuso a aceitar esse final... A autora não satisfeita com esse final sem muitas respostas, nos deliciou com um epílogo que diz absolutamente N-A-D-A.

Não sei mas o que dizer ou o que eu poderia escrever, só sinto um vazio no meu peito. 


TAG: #Diferentona

41 comentários
Olá...

Hoje eu resolvi responder uma TAG. Alice do Wonderbooks da Alice me indicou e eu achei super divertida. Estou devendo algumas e prometo fazer todas elas e com mais frequência, tá? 



1. Só eu que li? – Um livro que a maioria das pessoas desconhece, mas você leu.

Esse livro é maravilhoso, desses que eu separo e todo ano tenho que reler. É um romance de banca, água com açúcar e fininho, bem antigo e a autora não é muito conhecida. Conheci através da mãe de uma amiga, ela me indicou pois sabe que minha princesa favorita é a Cinderela, no livro acontece um baile que uma família proporciona todos os anos. Baile da Cinderela: entrem solteiros e saiam casados! Como em um passe de mágica, encontre seu par ideal ... Numa noite especial! Shayne tenta conquistar seu ex-marido. Fazia nove anos que não o via, desde que fora forçada a anular o casamento. Chaz McIntryre não fazia idéia de quem o convidara para aquele baile a fantasia. Assim que chegou no Baile Shayne se aproximou e tentou conquista-lo ele não fazia ideia, pois ela usava uma máscara. Linda e misteriosa a mulher lhe despertava algo diferente. Depois de 9 anos, sem saber o motivo que levou Shayne abandona-lo Chaz seria capaz de perdoá-la? 

2. Só eu que não gostei? – Um livro aclamado, menos por você.


Tá ficando chato e repetitivo né? Quem acompanha o blog sabe... Esse livro de longe foi o que me deu mais trabalho para terminar de ler. Tentei 4 vezes, os personagens são chatos, não gostei da escrita do autor... Esse livro simplesmente não funcionou comigo e tanta gente elogia, me sinto um ET. 

3. Só eu que vi apenas o filme? – Um livro que você quer muito ler, mas só assistiu ao filme.


Assistir As Vantagens de ser Invisível e passei mal de tanto que chorei nesse filme. Tive que dar um "pause" no filme, levantar, beber água, respirar fundo até ter estruturas para termina-lo. Só vi uma única vez e não tenho coragem de ver de novo. Se o filme acabou comigo o que dizer do livro? Não sei se consigo. 

4. Só eu que não li nada dela(e)? – Um autor famoso de quem você nunca leu um livro.

Nunca li nada da Colleen Hoover e me sinto a última pessoa da face da terra. Vou reparar esse pecado em breve. Tenho certeza que vou gostar da escrita dela, mas sempre vou deixando pra depois. 

5. Só eu que gostei do malvado? – Um livro com um vilão (ou não-herói) pelo qual você torceu mais do que pelo mocinho.

  Eu amo o Hardin! Não tem jeito... Nem vilão e nem mocinho, acho que eu entendo bem ele, Hardin é tudo o que não presta, uma droga no organismo e não precisa fingir isso. A autora mostrou bem como o personagem era e por ele ser tão franco eu o amei do começo ao fim. 

6. Só eu que acho que panela velha faz comida boa? – Um livro já desgastado, mas que você ama.

Conheci esse livro há 10 anos atrás e todo ano tenho que reler. Meu romance favorito, minha série favorita, minha autora favorita. Amo demais! 

7. Só eu que leio nacionais? – Um autor nacional que você adora.

São tantas... Mas Bianca Briones, autora da série Batidas Perdidas faz meu coração perder uma batida a cada livro lançado. 

8. Só eu que amo clássicos? – Um livro clássico que você gostou.


Li poucos clássicos, mas amo esse! 

9. Só eu que li antes de virar filme? – Um livro que foi/vai ser adaptado para o cinema e você leu antes.
Esse livro me deixou no chão... Me prendeu do começo ao fim e o final foi destruidor. Foi a melhor leitura do ano passado, estou ansiosa para adaptação e dessa vez eu vou "suportar"

10. Só eu que odiei a(o) principal? – Personagem principal que você odiou.
Cheguei a pensar que eu não iria conseguir terminar, Eadlyn  é insuportável! Foi uma tortura, parei várias vezes, tenho muito medo do desfecho dessa série. 

Vou indicar o Leandro do Palavras ao Vento para responder, mas sintam-se a vontade para responder também. Quero saber as respostas de vocês ;)




Resenha: O Duque e Eu - Julia Quinn

35 comentários
Ficha Técnica
Autora: Julia Quinn 
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Ano: 2013






Esse livro é mais uma da série: Romance de Banca que ganhou uma nova edição. Você provavelmente já deve ter visto esse livro pela blogosfera ou qualquer outro da série de sete volumes publicados. Romances Históricos vem ganhando espaço cada vez mais entre os leitores, a Editora Arqueiro foi uma das primeiras Editoras a apostar nessa ideia que vem dando certo. Sempre gostei de romances leves e descontraídos, já conhecia a escrita da autora e só posso afirmar que ela arrasou mais uma vez.

Nas primeiras páginas somos apresentados a família Bridgerton, a série conta a história dos oito irmãos da família: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory, Hyacinth. Eles são bastante unidos, os irmãos mais velhos tomam conta dos mais novos, ao ponto de um se meter na vida do outro. Anthony é o primogênito e chefe da família, o pai faleceu há alguns anos então ele assumiu tudo afim de ajudar a mãe, Violet. Só que a mãe e seu poder de persuasão acaba batendo o martelo no final das contas, mas nem sempre ela se envolve, só em casos extremos. 

Começa a temporada de bailes onde as mães de moças solteiras as apresentam à sociedade e aos grandes solteiros do momento. Chegou a vez de Daphne, a irmã do meio debutar. Ela é dona de uma beleza comum, não chama atenção pelos olhos claros ou pela cor da pele. Ela é bonita, mas não é uma beleza excepcional, Inteligente e espirituosa, seus únicos pretendentes são velhos demais e alguns jovens que ela conheceu, tornou-se amiga deles, ela começa a se sentir pressionada pela mãe a se casar logo. Daphne sonha em casar e ter uma família igual a dela, rodeada de amor. 

 "Sou a quarta de oito filhos. Só conheço famílias grandes. Não sei se saberia existir fora de uma”.

Simon Basset retornou há Londres para cuidar das posses que herdou de seu pai e ele tornou-se o Duque de Hastings. Lindo, rico, charmoso, libertino, conhecido como "o Duque Avassalador" é alvo da sociedade constantemente pela coluna de fofocas de Lady Whistledown e alvo das investidas das mães que estão loucas para casar suas filhas. Simon nunca conheceu sua mãe, ela faleceu após seu nascimento, aos 2 anos ele ainda não sabia falar e seu pai rejeitou a criança afirmando que ele tinha demência, apagou o filho de sua vida. Simon cresceu tendo dificuldades na fala, quando ficava nervoso não conseguia nem se quer dizer uma frase, ele foi criado pela governanta, esforçado e determinado conseguiu controlar a ansiedade e entrou na faculdade, foi onde conheceu Anthony Bridgerton e se tornaram amigos. 

Simon tentava chegar ao baile de maneira discreta, acaba presenciando a cena de uma jovem donzela, em apuros, ao se aproximar percebeu que a donzela em questão sabia se defender e quem provavelmente quem estava em apuros era o covarde que tentava atacar a jovem. No primeiro momento ele já se sente atraído pela divertida e encantadora Daphne, sem saber que ela é irmã de Anthony. Os dois se metem em um jogo de sedução, numa brincadeira perigosa, Quem poderia resistir aos encantos de um Duque?
Então Simon descobre que ela é irmã mais nova do seu melhor amigo e se amaldiçoa o código de honra dos Cavaleiros diz que as irmãs dos amigos são sagradas.

"Não cobiçarás as irmãs de teus amigos". 


Simon e Daphne ficam próximos, o suficiente para Simon lhe propor um acordo, ele fingiria cortejá-la isso atrairia olhares de outros homens para ela, já que estava sendo cortejada por um duque e enquanto isso ele se livrava das mães desesperadas que estavam a sua volta. Ele não pretendia se casar de jeito nenhum, isso não estava em seus planos. Sob o olhar raivoso dos seus irmãos que não aceitam o Duque cortejar Dapfhne, Anthony passara a aterrorizar a vida de Simon. Evidentemente o acordo não estava dando certo, além da atração enorme que Simon sentia, Daphne estava apaixonada. As coisas fogem um pouco do controle e eles acabam sendo vistos em uma situação escandalosa. Desde o começo ele avisou que não queria se casar, que era apenas uma brincadeira para se livrar das mães e filhas desesperadas para um casamento, os dois se deixam levar demais e faltam limites. Anthony ameaça o Duque, a amizade está a prova e Daphne desesperada pede ajuda. 

"Vou ajudá-la Daff. Você sabe que eu faço qualquer coisa por você".

Daphne pede ajuda a seu irmão Colin, eles são muito unidos. Sempre puderam contar um com o outro, provavelmente porque os dois tem quase a mesma idade. Colin ganhou meu coração desde os primeiros capítulos, ele é engraçado, adorava viajar, mas sempre voltava para o aconchego do lar. Como ela gostava de dizer, Colin fazia falta quando não estava em casa. Daphne com ajuda de Colin tenta reverter a situação, tenta convencer Simon e Anthony afim que a briga tome outras proporções. 

O livro tem uma narrativa leve e bem humorada. Dei boas gargalhas já nos primeiros capítulos. A autora criou personagens maravilhosos e bem estruturados, quero conhecer cada vez mais os outros irmãos e personagens da trama que aos poucos vão ganhando destaque. É um romance histórico, então é claro que você vai encontrar vários clichês, durante toda a trama, é um romance daqueles água com açúcar, uma leitura leve e despretensiosa,  se não gosta do gênero então não aconselho a você, mas se gosta de um bom romance é um prato cheio. Julia Quinn arrasou mais uma vez, não vejo a hora de dar continuidade a série, estou louca para conhecer ainda mais meu queridinho, Colin. Essa série eu aconselho a ler na ordem, tem alguns fatos na cronologia que se lido aleatoriamente não vai ser tão prazeroso, mas fique a vontade e se aventure, se entregue aos encantos dos Bridgertons. 


.



Resenha: Cidade de Ossos - Cassandra Clare

32 comentários
Ficha Técnica
Autora: Cassandra Clare
Páginas: 459
Editora: Galera Record
Ano: 2010

Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 

Um dia você acordar e descobre que toda sua vida é uma mentira! Sua Mãe e família não é nada do que você conhece há 16 anos. Que você foi enfeitiçada para esquecer grande parte das suas lembranças, todas as histórias, lendas e contos de fadas são reais, Vai bem além dos livros e o pior: Foi decisão da sua mãe esconder a verdade por 16 anos. O que você faria?

Clarissa Frey, a Clary...  vê seu mundo vir abaixo. prestes a completar 16 anos, ela decide ir a boate Pandemônio, com Simon seu melhor amigo. Ela acaba presenciando um crime, mas o mais estranho e curioso é que apenas ela consegue ver o que aconteceu, até mesmo Simon não viu nada e ela chega a pensar que está louca. Ela viu três pessoas cheias de cicatrizes, roupas e armas estranhas, arrastarem um pessoa pelo meio da boate e as pessoas ao redor estavam alheias aquilo tudo. Ela tenta ajudar e acaba se metendo em confusão, Simon a ajuda ir embora. Jace um dos assassinos  atrás do garoto, segue Clary afim de saber quem é a garota capaz de enxergar através do "feitiço" e ele a explica que ele e seus dois amigos, Alec e Isabelle, são na verdade Caçadores de demônios ou qualquer que seja a espécie, a vir perturbar os "Mundanos", se referem assim quando citam os humanos. Clary descobre que há um outro mundo, o Mundo das Sombras, somente quem tem a Visão, assim como ela, é capaz de vê-lo.

Clary começa a se sentir estranha, algumas visões, ela não faz ideia do que está acontecendo, Jace ainda explicava melhor o Mundo das Sombras a Clary, até que sua mãe liga dando instruções para ficar longe de casa, Jace e Clary correm afim de salva-la, mas é tarde demais, ela é  sequestrada. Demônios atacam Clary em sua própria casa e então tudo vem a tona.  Ela não é uma Humana qualquer, ela é uma Caçadora assim como Jace e seus amigos. Clary afim de se aprofundar mais nessa história de "Caçadores de Sombras" Jace a leva ao Instituto. Hodge, o tutor dos Caçadores, conta a verdadeira história a Clary, Jocelyn sua mãe, já havia sido também uma Caçadora de Sombras, o que por consequência, está no sangue de Clary.

Somos apresentados aos Instrumentos mortais, o Cálice da Mortalidade, o Espelho, e a Espada. Um mundo onde existem Vampiros, Lobisomens, Fadas, onde todas as historias se provam verdadeiras. Valentim, ex Caçador de Sombras, foi dado como morto há anos atrás, havia traído a Clave, a autoridade máxima no Mundo das Sombras, está de volta mais forte e criando um exército. Ele procura o Cálice, Jocelyn quando era caçadora robou de suas mãos e escondeu por todos esses anos. Clary é a única pessoa capaz de localizar o Cálice e  Jace, Alec e Isabelle, unem forças para encontrar Jocelyn e impedir Valentim.

A autora não criou apenas um mundo novo e rico em mistérios, ela surpreende com personagens fortes, concretos e convincentes, pelo menos para mim. Clary estava perdida, o mundo caiu, as pessoas deveria confiar, mentiram para ela, vulnerável, tinha tudo pra sentar no chão e chorar. Só que ela suporta,  ela é forte e inteligente, tenta acompanhar o ritmo daquele grupo que acabou de conhecer e tenta dar o melhor de si para não atrapalhar, Alec e Isabelle não estão nada felizes com uma estranha por perto, mas em meio a situação de risco, era pegar ou largar. Clary era a única pessoa que conhecia a mãe o suficiente para conseguir localizar o paradeiro do Cálice. 

No meio disso tudo, como resistir a Jace Wayland? Inteligente, lindo, Forte, lindo, Arrogante e Sarcástico, lindo e morto de lindo , Honesto e Protetor, todo Crush que uma garota sonha na vida. Nada foi forçado ou a primeira vista, foi florescendo aos poucos, mesmo sentindo toda a tensão entre os dois, protagonizaram diálogos com muito humor e você fica sem saber o que vai acontecer com os dois. O que não da pra explicar é como depois de tanto dinheiro, tanta crítica negativa, as pessoas não aprendem com os erros. Errar numa adaptação pela primeira vez, acontece. Errar pela segunda vez é o quê? 

Se eu tiver que comparar o filme e a série, na minha opinião APESAR DE TUDO o filme foi mais fiel. Até o momento a série vem se distanciando a cada episódio. Nos primeiros capítulos as mudanças foram aceitáveis para mim, mas agora estão colocando o carro na frente dos bois e a sobremesa está sendo servida antes do prato principal. Não sou dessas que surta porque o filme ficou diferente do livro, nunca é igual a gente sabe. Normalmente é gosto dos dois, tanto o filme, quanto o livro. Se todos os livros adaptados forem divididos em parte 1 e parte 2, ainda sim não sairiam igual. Só que inventar historias mirabolantes, não dá né? a série anda mal das pernas, mesmo com a audiência baixa nos EUA a série foi renovada para 2 temporada.

Muitos criticam, mas aqui você não vai encontrar nenhum clássico da literatura Brasileira, um livro escrito por Machado de Assis ou Jane Austen, Nem precisa. Instrumentos Mortais já tem seus espaço e cresce cada vez mais criando uma legião de "Shadowhunters"Cidade dos Ossos é um daqueles livros que eu recomendo para  adolescentes, adultos, homens e mulheres que gostam dessa premissa que eu apresentei, se não gosta desse mundo sobrenatural e romance, melhor passar longe. Tudo é uma questão de gosto e preferências.


 
Desenvolvido por Michelly Melo.